Início Noticias Tricolor tem pior início no Baianão em dez anos

Tricolor tem pior início no Baianão em dez anos

274
0
O clima na Cidade Tricolor não está nada bom. Depois do empate em 1 a 1 com o Unirb FC, na última quarta, o time inicia o Baianão com dois  jogos sem triunfo, o que não ocorria desde 2012.  Esse começo ruim, misturado com a insatisfação guardada da queda para a Série B, reforçou as diversas manifestações por parte da torcida. 
Desde a queda para a Segunda Divisão, o Bahia não sabe o que é ter paz. No último dia 8 de janeiro, membros da torcida organizada Bamor invadiram o CT do Tricolor e cobraram os jogadores e o presidente Guilherme Bellintani. O episódio chegou a gerar uma nota de repúdio do clube, pela atitude e rispidez das pessoas envolvidas. 
Cinco dias depois do acontecimento, outra manifestação. Novamente membros da Bamor protestaram, mas agora na frente do prédio do presidente Bellintani. O protesto contou com instrumentos musicais, bandeiras e fogos de artifício. Depois de 20 minutos, a polícia dissipou o evento. 
Apesar das oportunidades para acalmar os ânimos, as rodadas iniciais do Campeonato Baiano não foram bons para a equipe e os protestos continuaram. Com o empate alcançado só  nos acréscimos do segundo tempo, após uma terrível atuação, Lucas Araújo, autor do gol, reagiu às vaias e reclamações após balançar a rede, bradando em direção à arquibancada. A ação foi  mal vista por grande parte da torcida e gerou tumulto no estádio. 
Na quinta-feira, 20, o meio-campista postou um pedido de desculpas em seu Instagram e explicou que o time precisava de incentivo ao invés de críticas. “Antes de qualquer coisa, quero pedir desculpas pela minha atitude no jogo de ontem, quando fui em direção a um torcedor após o nosso gol de empate. O torcedor tem direito e razão de estar chateado conosco pelo rebaixamento na última temporada, do qual eu fiz parte, porém, na noite de ontem estávamos precisando do incentivo e apoio, que sempre veio da arquibancada. E foi apenas o que eu pedi, incentivo!”, escreveu o camisa 15.
O jogador admitiu o erro e relembrou dos momentos de apoio no ano anterior. “Sei que não escolhi a melhor maneira de fazer isso. Mas quero deixar claro que minha única e exclusiva intenção era pedir o incentivo das arquibancadas. Ano passado vi como vocês fazem a diferença positivamente nas nossas partidas”.
Também ontem, o lateral direito Jonathan falou sobre a irritação da torcida, mas pregou moderação. “Nós que somos mais experientes entendemos o lado do torcedor. A cobrança. O torcedor quer resultado imediato. A gente entende até um certo ponto, desde que não tenha agressão, ameaça à família, porque família é uma coisa muito sagrada”, disse o atleta.
Esperança
Mesmo com toda a agitação, nem tudo parece estar perdido. A partir da próxima rodada, o time já será comandado pelo técnico Guto Ferreira e alguns dos titulares devem estrear. Outra boa notícia para o Esquadrão é o adiamento da estreia na Copa do Nordeste, contra o Sampaio Corrêa. A partida, que iria ocorrer no dia 22 de janeiro, passou para 24 de fevereiro. A mudança foi feita pela CBF a pedido do clube e o principal argumento é de que os times cearenses (Ceará e Fortaleza), atuaram no mesmo dia que o Bahia pela última rodada da Série A e só iriam estrear em fevereiro. 
Dessa forma, Gordiola trabalhará com só um grupo, entre os jogadores titulares e da equipe de transição. O primeiro jogo do treinador este ano será na próxima quarta, contra o Doce Mel, pelo Baianão.